Parasitas: o que são, tipos e características

Parasitas: o que são, tipos e características

O parasitismo é uma relação ecológica em que organismos parasitas vivem em seres hospedeiros para se alimentar, causando prejuízos para a saúde do ser que está sendo parasitado.

Nos seres humanos, existem diversas doenças causadas por parasitas, e esse costuma ser um tópico bastante recorrente nas provas do Enem e dos vestibulares do país por abranger um tema de saúde pública.

Então, não perca esse conteúdo que o Estratégia Vestibulares preparou para te ajudar a garantir sua vaga na universidade!

O que são parasitas?

São seres que se beneficiam de um organismo hospedeiro para a sua sobrevivência.

Quais são os tipos de parasitas?

Os principais tipos de parasitas são aqueles:

  • Obrigatórios: precisam de um hospedeiro para sobreviver, como os vírus;
  • Facultativos: são beneficiados pelo hospedeiro, mas não estabelecem uma relação de dependência, como a lombriga, por exemplo; e
  • Protelianos: os parasitas são obrigatórios na fase de desenvolvimento larval, mas se tornam facultativos quando atingem a fase adulta, e esse tipo de parasitismo acontece em algumas espécies de insetos.

Quais são as características dos parasitas?

Os parasitas podem apresentar alguns mecanismos adaptativos que os permite retirar nutrientes de outros seres ou ainda se fixar ao hospedeiro. 

Um bom exemplo desses mecanismos de fixação, é a presença de ventosas e de ganchos nas tênias, o que auxilia a fixação do parasita no intestino.

Além da adaptação, é importante lembrar que o “objetivo” do parasita não é matar o seu hospedeiro, visto que é sua fonte de alimento. Contudo, doenças parasitárias são capazes de levar o indivíduo a óbito em alguns casos. 

Como ocorre a transmissão de parasitas?

A transmissão depende da espécie do parasita e do seu respectivo ciclo de vida, de modo que é possível adquirir uma parasitose por meio de ingestão de água e alimentos contaminados, de picadas de insetos ou até mesmo pela pele, por exemplo.

Aprenda sobre algumas parasitoses e suas formas de transmissão a seguir.

Exemplos de parasitas

Diversas doenças comuns no Brasil são causadas por parasitas que se alojam no corpo humano.

Veja algumas das principais parasitoses humanas abaixo:

  • Esquistossomose: doença popularmente conhecida como “barriga d’água” e causada pelo parasita Schistosoma mansoni, que habita um hospedeiro intermediário – caramujo – e penetra na pele quando uma pessoa entra em contato com água contaminada;
  • Teníase: essa doença é causada por um verme parasita e pode ser adquirida por meio da ingestão de carne contaminada. No caso da carne bovina, adquire-se a Taenia saginata, enquanto com a ingestão de carne suína contaminada, adquire-se a Taenia solium;
  • Malária: doença causada pelo protozoário Plasmodium e é adquirida por meio da picada do inseto Anopheles contaminado com o parasita; 
  • Ascaridíase: é popularmente chamada de “lombriga” e é causada pela ingestão de alimentos contaminados com ovos de Ascaris Lumbricoides; e 
  • Zika: parasitose causada pelo Zika Vírus e transmitida pela picada de mosquitos Aedes aegypti, que se tornou um problema no Brasil, principalmente, por causar microcefalia em bebês de mães que contraíram a doença durante a gestação.

Além das parasitoses humanas, outros animais também podem se tornar hospedeiros de parasitas, como no caso dos carrapatos que se prendem à pele dos cães e se alimentam do seu sangue, podendo transmitir doenças para esse hospedeiro, como a conhecida “doença do carrapato”.

Parasitismo

O parasitismo é uma relação ecológica entre espécies distintas em que uma é o parasita e a outra é o hospedeiro, sendo que o organismo parasita se beneficia do hospedeiro, enquanto pode acarretar prejuízos a ele.

Exercícios

Agora que você já está por dentro do que são parasitas, tipos e exemplos deles, teste seus conhecimentos com essa questão que o Estratégia Vestibulares selecionou para você:

(ENEM) A esquistossomose (barriga-dʼágua) caracteriza-se pela inflamação do fígado e do baço causada pelo verme Schistosoma mansoni (esquistossomo). O contágio ocorre depois que larvas do verme são liberadas na água pelo caramujo do gênero Biomphalaria, seu hospedeiro intermediário, e penetram na pele humana. Após o diagnóstico, o tratamento tradicional utiliza medicamentos por via oral para matar o parasita dentro do corpo. Uma nova estratégia terapêutica baseia-se na utilização de uma vacina, feita a partir de uma proteína extraída do verme, que induz o organismo humano a produzir anticorpos para combater e prevenir a doença. 

Instituto Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz). Fiocruz anuncia nova fase de vacina para esquistossomose. 

Disponível em: http://agencia.fiocruz.br. Acesso em: 3 maio 2019 (adaptado).

Uma vantagem da vacina em relação ao tratamento tradicional é que ela poderá

a) impedir a penetração do parasita pela pele.  

b) eliminar o caramujo para que não haja contágio.  

c) impedir o acesso do esquistossomo especificamente para o fígado.  

d) eliminar o esquistossomo antes que ocorra contato com o organismo.  

e) eliminar o esquistossomo dentro do organismo antes da manifestação de sintomas.

Gabarito: E, pois a vacina vai induzir a produção de anticorpos que eliminarão o parasita dentro do organismo.

Gostou do conteúdo que o Estratégia Vestibulares preparou para você ir bem na prova de Biologia do Enem e do seu vestibular? Então não perca nossos próximos artigos! Aproveite para conhecer os nossos cursos, que são pensados para você alcançar seu sonho de entrar na universidade. Clique no banner abaixo e confira!

isenção de taxa ita
Você pode gostar também