Faculdade de Nutrição: áreas de atuação, grade curricular e mais!

Faculdade de Nutrição: áreas de atuação, grade curricular e mais!

Veja detalhes sobre a faculdade de Nutrição, curso oferecido em diversas instituições públicas do país, no Portal Estratégia Vestibulares

O curso de Nutrição é uma graduação da área da saúde, do campo das Ciências Biológicas, e está disponível em instituições públicas como USP, UFBA, UFRGS, Unicamp, Unesp e UFMG, por exemplo.

A graduação tem como elementos principais a alimentação e o funcionamento do metabolismo humano. Como melhorar índices relacionados à saúde com base no que a gente come e nas nossas atividades diárias? Essa é uma das perguntas que a Nutrição tenta responder.

Inscreva-se em nossa newsletter🦉

Receba dicas de estudo gratuitas e saiba em primeira mão as novidades sobre o Enem, Sisu, Encceja, Fuvest e outros vestibulares!

Veja a seguir mais sobre o curso de Nutrição, com a participação de Carolina Guerini de Souza, professora e coordenadora da Comissão de Graduação do curso de Nutrição (COMGRAD Nutrição) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

O que é Nutrição?

O profissional da área lida com a alimentação de seus pacientes, seja de forma individual ou em grupo, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dessas pessoas por meio do que elas comem.

Para isso, um nutricionista recomenda dietas e promove uma reeducação alimentar para que seus pacientes encontrem um melhor equilíbrio metabólico. Com atuação diretamente ligada à saúde humana, muitas vezes o profissional é acionado para orientar casos de pessoas doentes como diabéticos, anêmicos, hipertensos e outros.

Como funciona o curso de Nutrição?

As Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Nutrição foram homologadas em 2001, e passam por discussões sobre uma atualização pelo Conselho Federal de Nutricionistas (CFN).

Há a necessidade de atingir 20% da carga horária total do curso — geralmente são quatro anos de estudos — em estágios supervisionados, que precisam ser distribuídos equitativamente em três áreas de atuação: nutrição clínica, nutrição social e nutrição em unidades de alimentação e nutrição. 

Grade curricular de Nutrição

Com mínimo de oito semestres de aulas, as disciplinas são divididas em quatro tipos de conteúdos: Ciências Biológicas e da Saúde; Ciências Sociais, Humanas e Econômicas; Ciências da Alimentação e Nutrição; e Ciências dos Alimentos. Dentre as disciplinas mais comuns estão:

  • Avaliação Nutricional
  • Segurança alimentar e nutricional
  • Bioquímica
  • Fisiologia
  • Saúde coletiva
  • Sociologia da Saúde
  • Nutrição Clínica
  • Políticas de saúde
  • Nutrição materno-infantil
  • Práticas integradas em saúde
  • Nutrição e alimentação escolar
  • Dietética
  • Anatomia

As diretrizes também indicam competências e habilidades específicas, como:

  • aplicar conhecimentos sobre a composição, propriedades e transformações dos alimentos e seu aproveitamento pelo organismo humano, na atenção dietética;
  • avaliar, diagnosticar e acompanhar o estado nutricional; planejar, prescrever, analisar, supervisionar e avaliar dietas e suplementos dietéticos para indivíduos sadios e enfermos;
  • investigar e aplicar conhecimentos com visão holística do ser humano, integrando equipes multiprofissionais;
  • contribuir para promover, manter e ou recuperar o estado nutricional de indivíduos e grupos populacionais; e
  • realizar diagnósticos e intervenções na área de alimentação e nutrição, considerando a influência sócio-cultural e econômica que determina a disponibilidade, consumo e utilização biológica dos alimentos pelo indivíduo e pela população.

Áreas de atuação e mercado de trabalho de Nutrição

Conversamos com Carolina Guerini de Souza, professora do departamento de Nutrição da UFRGS. Ela cita quais são os principais mercados para formados em Nutrição.

“Os principais mercados em nutrição são a produção de refeições para coletividades (restaurantes, bares, aplicativos), a alimentação do escolar (rede pública e também escolas privadas) e a área clínica (consultórios, clínicas e hospitais)”. 

Além das áreas citadas, que são mais tradicionais, Carolina também pontua sobre movimentos atuais do mercado. “A área de exercício físico está em expansão (em academias, consultórios e equipes), também o empreendedorismo em diferentes frentes da nutrição, seja na produção de refeições ou em produtos alimentícios”.

Carreira acadêmica

A relação com a saúde e metabolismo faz com que a área tenha pesquisas relacionadas a assuntos diversos. Carolina dá algumas dicas: “Se quiser ser um pesquisador da área, inicialmente deve fazer iniciação científica durante a graduação e quanto antes começar, melhor. Deve estudar sobre métodos de pesquisa em saúde, metodologia científica, redação científica e ler muitos artigos publicados em revistas indexadas da área”.

“O mercado é pequeno e competitivo, especialmente em um país como o nosso, onde a pesquisa é tão pouco apoiada e valorizada. Os recursos estão muito escassos e, embora existam temas de pesquisa mais expoentes, não podemos considerar um mercado em expansão no momento. O chamado ‘êxodo de cérebros brasileiros para o exterior’ é o principal indício disso”, explica Carolina.

A professora ainda comenta a importância do papel do aluno na formação. “Gostaria de salientar que a formação do aluno é feita muito mais por ele mesmo, do que pelo curso, e que é preciso ser sujeito da sua própria formação e construção profissional!”.

Perfil profissional de um nutricionista

A relação com a saúde faz com que a atenção aos pacientes e grupos atendidos seja um diferencial, ainda mais em um momento em que o atendimento on-line, à distância, esteja em alta. Carolina comenta sobre os diferenciais. 

“Os diferenciais atualmente dizem mais respeito à pessoa, do que à formação do profissional. Ser pró-ativo, comprometido, saber trabalhar em equipe, responsável, assíduo e comunicar-se bem (escrita e oralmente) são habilidades que fazem a diferença”. 

Mas, e o aspecto técnico? Carolina responde: “conhecimento técnico sólido é essencial, mas ele sozinho não garante sucesso, nem empregabilidade, sem as demais habilidades citadas”.

Expectativas e realidades da Nutrição

As expectativas dos alunos que ingressam em uma área são muitas, mas nem sempre correspondem à realidade, seja do curso em si, ou mesmo da profissão ou do mercado de trabalho. Carolina disseca, com base na sua vivência, o processo de descoberta de um aluno.

“Geralmente ao entrar no curso os alunos pensam que aprenderão a dizer o que e quanto as pessoas devem comer, sendo que muitos buscam o curso com intuito de trabalharem com esportes e aplicarem os conhecimentos nisso (o que e quanto devem comer para ganhar músculos e perder gordura) ou para emagrecerem as pessoas. Infelizmente o nutricionista é visto como ‘emagrecionista’”. 

Em um segundo momento, com o aprendizado obtido ao longo dos primeiros semestres e disciplinas, o futuro nutricionista consegue compreender melhor o amplo espaço que pode ser ocupado e as diferentes áreas de atuação.

“Ao longo do curso vão aprendendo que a nutrição é muito maior do que isso e que possui diversas áreas de atuação. As disciplinas da graduação vão capacitando os profissionais em formação a aprenderem não só sobre o funcionamento do corpo, mas sobre os sistemas de produção de alimentos, como produzir refeições, controlar sua qualidade nutricional, o risco microbiológico na produção do alimento e da refeição, como funciona o sistema de saúde público e o papel do nutricionista na saúde da coletividade (crianças, adolescentes, adultos e idosos), o desenvolvimento de produtos alimentícios, como se faz pesquisa em saúde, o cuidado nutricional com pacientes hospitalizados e, acima de tudo, como usar o alimento como instrumento de trabalho nessas frentes”, explica.

Principais universidades que oferecem o curso de Nutrição

Veja abaixo algumas instituições públicas que oferecem o curso de Nutrição:

  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Universidade de São Paulo (USP)
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
  • Universidade Federal de Goiás (UFG)
  • Universidade Estadual Paulista (Unesp)
  • Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
  • Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)
  • Universidade Federal de Sergipe (UFS)
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Universidade de Brasília (UnB)
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj)
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Universidade Estadual do Ceará (Uece)
  • Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop)
  • Universidade Federal do Pará (UFPA)

Cursos próximos a Nutrição

Dentre os cursos relacionados ou próximos a Nutrição estão Gastronomia, Química, Medicina e Engenharia de Alimentos, por exemplo. Caroline Guerini de Souza comenta sobre a interdisciplinaridade necessária na profissão.

“É necessário um exercício desta interdisciplinaridade ainda na formação do aluno, em disciplinas que fomentem isso, bem como em experiências nestas áreas que devem ser buscadas pelo aluno — cursos, eventos, estágios, iniciação científica e mentorias, por exemplo. Ainda na graduação, durante os estágios obrigatórios do curso, interagir o máximo possível com outros membros da equipe de trabalho é uma excelente oportunidade para construir essa bagagem”.

Tenha o apoio do Estratégia Vestibulares na sua aprovação

O Estratégia está pronto para te ajudar a passar no curso dos seus sonhos, seja Nutrição ou qualquer outro. Conheça nossos cursos preparatórios intensivos e extensivos, além de diversos produtos e serviços pensados para te atender. Confira já!

Você pode gostar também