Níveis de organização dos seres vivos: o que são?

Níveis de organização dos seres vivos: o que são?

A palavra biologia deriva de bios, que significa vida, e do sufixo -logia, que indica “estudo”. Assim, essa ciência se dedica ao estudo da vida em suas variadas formas. Diante do grande número de indivíduos a serem estudados, cada um com suas características, a ciência biológica criou níveis de organização dos seres vivos.

Por meio dessa classificação, é possível observar como os organismos são construídos desde os átomos até a formação do corpo, bem como a interação entre diferentes seres, que podem habitar os mesmos ambientes. 

Acompanhe, neste texto, um resumo sobre todos os níveis biológicos: átomos, células, tecidos, órgãos, sistemas fisiológicos, organismos, populações, comunidades, ecossistemas, biomas e a biosfera. Veja também a importância para os vestibulares, com exemplo de como o assunto aparece nas provas.

Inscreva-se em nossa newsletter🦉

Receba dicas de estudo gratuitas e saiba em primeira mão as novidades sobre o Enem, Sisu, Encceja, Fuvest e outros vestibulares!

Como são os níveis de organização dos seres vivos?

Esses níveis de organização são a base da classificação utilizada pelos biólogos. Eles foram criados, majoritariamente, pela observação das semelhanças compartilhadas pelos organismos de diferentes espécies.

Por exemplo, todos os seres vivos são, necessariamente, constituídos por átomos. A partir disso, surgem as células — estruturas essenciais para a realização de processos metabólicos, seja em pequenas bactérias ou grandes elefantes.

Conforme observam-se seres de maior porte, é possível encontrar associações de células semelhantes que interagem entre si para uma única função, como o tecido absortivo presente na trato gastrointestinal dos homens. Em alguns organismos essas estruturas especializadas formam órgãos, como o intestino; além de integrarem sistemas fisiológicos e participarem coordenadamente da homeostase corporal.

Perceba que os exemplos citados apresentam uma hierarquia. A partir dos átomos temos uma visão microscópica, o que demonstra  a importância do estudo biológico desde os primórdios da formação de matéria: os elementos químicos que constituem as células, a bioquímica celular, a interação de elétrons nas mitocôndrias como gerador de energia para a sobrevivência animal, entre outros exemplos.

Ao mesmo tempo, a coordenação entre os sistemas fisiológicos, como a relação entre o estômago, intestino grosso, duodeno, jejuno-íleo e reto é necessária para a absorção de nutrientes, excreção de substâncias indesejadas e formação do bolo fecal. 

Além de que, a relação do sistema digestório com o sistema endócrino favorece a liberação de hormônios diferentes quando estamos em jejum ou quando estamos saciados, após uma refeição farta.

Organização da interação entre indivíduos

Além de organizar a biologia com a observação dos elementos que constroem um organismo, a classificação de níveis biológicos também classifica a forma como os indivíduos interagem entre si. 

Como veremos adiante, uma população de crocodilo pode se relacionar com pássaros palito, ao mesmo tempo em que ambos estabelecem interações com vegetais. A interação entre diferentes espécies forma uma comunidade ecológica, que vai ser parte integrante de um ecossistema e isso acontece sucessivamente, até que todos os organismos e interações estejam notados no último nível biológico. 

Quais os níveis de organização?

Átomos

O primeiro nível de organização biológico considerado são os átomos. Eles são a menor parte da matéria, presentes em qualquer tipo de material, vivo ou não vivo. 

Nos seres vivos, em geral, são predominantes os átomos de elementos químicos que formam compostos orgânicos, como o Carbono, o Hidrogênio, o Oxigênio e o Nitrogênio. 

Também são comuns os elementos químicos que participam de reações para a liberação de energia, por exemplo, como o Cálcio, o Potássio, o Sódio, o Magnésio, entre outros.

Molécula

A junção de dois ou mais átomos forma moléculas. Por meio de ligações químicas, os elétrons atômicos interagem entre si, o que origina substâncias importantes para a manutenção da vida. A principal delas, sem dúvidas, é a água. Outras moléculas como o O2, o N2, as proteínas, os aminoácidos, os ácidos nucleicos são essenciais à vida.

Organelas

A associação de moléculas começa a criar pequenas estruturas celulares, as organelas. Como aponta o nome, elas são “pequenos órgãos”, ou seja, participam do metabolismo celular e são responsáveis pela nutrição da célula, excreção de substâncias, formação de proteínas, manutenção de enzima, geração de energia, entre outras funções.

Entre as organelas podemos citar: mitocôndrias, ribossomos, retículos endoplasmáticos liso e rugoso, cloroplastos, complexos golgienses, citoesqueletos, entre outros exemplos.

Células

As organelas estão dispostas nas células, imersas no citosol — um líquido viscoso composto de água e proteínas —, onde ocorrem os principais processos metabólicos da bioquímica celular. 

As células podem ser classificadas como eucariontes, quando possuem núcleo organizado, ou procariontes, quando o núcleo é difuso e só existem organelas simples, como os ribossomos. 

+ Veja também: O que é citoplasma? Veja características e organelas

Tecidos

Quando observa-se uma junção de muitas células iguais que desempenham a mesma função, encontrou-se um tecido. A histologia é o ramo da biologia que se dedica ao estudo dos tecidos e, a partir dela, é possível entender como a pele (tecido epitelial) é tão diferente dos músculos (tecido muscular) e dos ossos (tecido conjuntivo ósseo).

Órgãos

Órgãos são estruturas compostas de diversos tecidos que, juntos, buscam concluir um processo a partir da soma de suas funções. Por exemplo, o tecido muscular dos intestinos permitem o transporte do bolo alimentar pelo trato digestivo, ao mesmo tempo em que os tecidos epiteliais absortivos garantem a retenção de nutrientes.

Algumas partes do intestino possuem, ainda, tecido epitelial glandular, responsável pela defesa do sistema digestório contra possíveis microrganismos que querem colonizar o organismo. 

Sistemas fisiológicos

O próximo nível hierárquico são os sistemas fisiológicos, quando diversos órgãos se relacionam entre si para concluir um processo. Com base no exemplo da alimentação, a união entre boca, faringe, esôfago, estômago, intestinos e reto constituem o sistema digestório, responsável por processar os alimentos, absorver nutrientes e vitaminas e excretar o bolo alimentar.

Organismos

Um organismo é formado pela união entre seus diversos sistemas fisiológicos que trabalham de maneira integrada para manter o equilíbrio corporal e fazer a manutenção da vida.

No corpo humano, por exemplo, temos os sistemas: digestório, endócrino, cardiovascular, genito-urinário, nervoso, respiratório, linfático, imunológico, sensorial, esquelético, excretor, entre outras classificações. 

População ecológica

Quando um grupo de organismos da mesma espécie estão em interação, é estabelecida uma população ecológica. Assim, qualquer grupo de animais que compartilham a mesma espécie e o mesmo espaço geográfico em tempo simultâneo é considerado uma população.

Comunidade ecológica

Quando populações de diferentes espécies passam a se relacionar, surge o conceito de comunidade ecológica. Assim, uma comunidade é definida como a relação entre diferentes espécies de seres vivos que compartilham a mesma localização.

Ecossistema

Se a comunidade abrange somente as interações entre seres vivos, os ecossistemas admitem também a relação dos organismos com os elementos não vivos (abióticos) do ambiente.

Assim, o ecossistema é composto também pelas rochas, água, terra e outros materiais inorgânicos que estão presentes no espaço geográfico de uma determinada comunidade.

Bioma

Quando existe um padrão para os ecossistemas de uma região, tem-se a classificação de bioma. Nesse caso, as comunidades e os componentes abióticos apresentam características em comum.

A floresta amazônica, por exemplo, é um bioma constituído por árvores altas, densas, de folhas largas e que não ficam desfolhadas ao longo do ano. As espécies animais são numerosas e bem adaptadas ao ambiente úmido. Ao mesmo tempo, a terra está sempre com uma concentração alta de água, o clima é chuvoso e quente, com pouca variação de temperatura.

Biosfera

A biosfera, por fim, é a junção entre todos os biomas terrestres. Não é, necessariamente, a Terra inteira, mas a totalidade de fatores bióticos e abióticos que interagem em diversas partes do planeta — é o último dos níveis de organização dos seres vivos.

Questões sobre níveis de organização dos seres vivos

(UENP) Ecólogos, ao estudarem populações de plantas, encontram organismos aderentes em diferentes condições ambientais. Como decidir se esses organismos pertencem a uma só população ou a mais de uma?

a) Verificando a possibilidade de intercâmbio de informações genéticas entre os indivíduos.
b) Verificando os fatores dependentes e independentes da densidade populacional.
c) Verificando o tamanho dos organismos, considerando a biomassa, a altura, a morfologia e a condição fisiológica.
d) Verificando as condições de sobrevivência, rendimento reprodutivo e crescimento dos organismos.
e) Estimando as taxas vitais das plantas e, através destas taxas, separando os organismos.

Como uma população só pode ser constituída por indivíduos da mesma espécie, é necessário que as plantas compartilhem informações genéticas para que sejam consideradas uma população, conforme os níveis de organização dos seres vivos.

Estude para o Enem com a Coruja!

Você sabia que os cursos preparatórios para o Enem do Estratégia Vestibulares te ajudam na organização dos seus estudos? Com as trilhas ecológicas fornecidas pela Coruja, você pode programar os assuntos necessários para a realização da sua prova. Não perca essa oportunidade, clique no banner abaixo e saiba mais!

CTA curso Enem

Veja também:

Você pode gostar também