Filosofia pré-socrática: o que é, principais pensadores e teorias

Filosofia pré-socrática: o que é, principais pensadores e teorias

A filosofia pré-socrática desenvolveu durante a Grécia Antiga, no período anterior ao surgimento das ideias filosóficas de Sócrates. As ideias dos estudiosos trazem uma nova visão sobre o mundo e explicações racionais para fenômenos que, à época, eram descritos por meio da mitologia.

No artigo abaixo, você conhecerá mais sobre os filósofos da era pré-socrática, como Tales de Mileto, Parmênides de Eléia, Pitágoras de Samos, Anaxímenes de Mileto e tantos outros pensadores que foram fundamentais para a transição do pensamento mítico para o desenvolvimento lógico e racional. Continue lendo e saiba mais!

O que é filosofia pré-socrática?

A filosofia pré-socrática é o primeiro passo para o desenvolvimento dessa ciência na Grécia Antiga, civilização da Antiguidade Clássica.  Entre os séculos VII e V, estudiosos de diferentes cidades gregas se destacaram por trazer uma nova forma de pensamento, que não era mais baseada na mitologia, mas buscavam fatos e argumentos racionais para explicar fenômenos da natureza e comportamentos dos seres. 

Na divisão filosófica adotou-se o termo “pré-socrático” porque essas ideias surgem imediatamente antes da retórica e maiêutica de Sócrates. Dada a importância deste pensador para a filosofia como um todo, o desapontamento socrático é um marco para classificar os estudiosos.

Para os pré-socráticos, a questão mais importante era entender o mundo e a natureza. Nesse sentido, a maior parte deles se dedicou a encontrar a origem do universo. Para isso, eles observavam a “physis”, palavra grega que significa natureza, e buscavam as respostas racionais para os mais variados assuntos. 

Alguns deles, por exemplo, notaram que a água estava presente em diversos estados da matéria e em grande parte dos seres vivos, então consideraram que esse é o elemento primordial para o desenvolvimento do universo. Outros fizeram o mesmo com o fogo, os números e outros conceitos, como será detalhado a seguir.

Veja que esse momento é um marco importante para a humanidade. Afinal, ainda antes da Era Cristã, indivíduos buscavam respostas racionais com argumentos observáveis para os acontecimentos do cotidiano. Do ponto de vista científico, podemos considerar que esse período é o ponto de partida para que a visão mitológica e religiosa não fosse a resposta para todos os acontecimentos, mas agora a lógica (do grego “logos”) seria outro fundamento relevante.

Pode-se dizer que a filosofia pré-socrática é o princípio da cosmologia, ramo da ciência que abrange todas as dimensões sobre o universo, sua origem, organização e comportamento ao longo do tempo.

Por meio do conceito de “arkhé”, que seria a matéria comum a todas as estruturas do universo, cada filósofo encontrou uma resposta para os questionamentos cosmológicos. E, ao mesmo tempo, alguns estudiosos focaram seus estudos na compreensão dos seres, ciência que é chamado hoje de ontologia.

Continue lendo e conheça, nos tópicos a seguir, os filósofos pré-socráticos mais relevantes para a história da humanidade, tanto na cosmologia como na ontologia.

Filósofos pré-socráticos

Tales de Mileto

Tales de Mileto, o mesmo que propôs o teorema da matemática, foi um estudioso grego muito interessado na origem do universo. Em uma vertente mais cosmológica, ele acreditava que a água é o princípio originário de todas as coisas. 

Afinal, ele observou que a água está presente na maior parte das fases da vida e em diversos elementos, vivos e não vivos. Justamente por essa teoria, a frase que melhor representa sua história na filosofia pré-socrática é “tudo é água”.

Anaxímenes de Mileto

Também nascido na cidade grega de Mileto, Anaxímenes propôs que o cosmos fosse originado do ar. Seu argumento leva em consideração que os homens têm um espírito, esse espírito seria formado de ar e, como tudo que está à nossa volta na natureza está recoberto de ar, o estudioso associou que o universo depende do ar para subsistir.

Anaximandro de Mileto

Anaximandro de Mileto foi outro filósofo pré-socrático nascido em Mileto, que, inclusive, aparece como uma cidade importante no desenvolvimento intelectual da Antiguidade Clássica. A teoria proposta por Anaximandro explica que o mundo foi formado a partir de uma matéria infinita, que constitui os seres e os objetos conhecidos.

Pitágoras

Pitágoras, o mesmo que aparece no teorema dos triângulos retângulos, também se aventurou no campo da filosofia. Após estudar muita matemática e observar padrões numéricos em diferentes objetos, elementos e seres, o filósofo pré-socrático concluiu que o elemento primordial para o surgimento do universo são os números, que regem todos os fenômenos e estruturas observáveis.

Parmênides de Eléia

Parmênides de Eléia foi o filósofo pré-socrático que propôs a fixidez do mundo. Ele defendeu que o universo e todos os seres se sustentam em uma essência rígida, que não se altera ao longo do tempo. 

Para as alterações que são observadas no dia a dia, como por exemplo a queda de folhas de uma árvore, o filósofo atribui que são modificações superficiais, que não alteram a essência primordial daquele ser. Ou seja, a árvore não deixa de ser árvore porque seus ramos caíram durante o outono. 

Essa essência única proposta por Parmênides é completamente contrária a outro filósofo pré-socrático, Heráclito de Éfeso, que será abordado no tópico abaixo. Inclusive, a oposição entre suas ideias foi pano de fundo para diversos debates filosóficos que se estenderam por muitos séculos.

Heráclito de Éfeso

Heráclito, nasceu na cidade de Éfeso, famoso território grego que é citado até mesmo nos cânones bíblicos. Para ele, o elemento primordial que dá origem ao universo é o fogo. Ao perceber o incessante balançar das chamas e a transformação que o calor pode causar em diferentes matérias, como os fenômenos hoje chamados de fusão e ebulição, Heráclito fez um paralelo com os acontecimentos universais. 

Na teoria do filósofo, o mundo está em constante movimentação, tal qual a dança das chamas do fogo. Em um raciocínio semelhante, acreditava que as coisas do universo estão sempre se transformando. Com essas justificativas, ele afirmou que não haveria um elemento que explicasse com mais clareza a origem do universo. 

Para além da resposta cosmológica, Heráclito é também conhecido por trazer a noção de mobilidade constante para o comportamento dos seres, em direção a estudos mais ontológicos. 

Outro ponto importante de sua filosofia é que, para ele, a existência de opostos é uma das características que dão sentido à vida. Então, o frio só existe porque há o calor, a escuridão só é notada porque observou-se a luz, entre outros exemplos.

Estude para o Enem com o Estratégia Vestibulares!

Elaborado por uma equipe didática especializada e qualificada, o Pacote Extensivo Enem da Coruja possui os materiais necessários para garantir uma excelente nota no maior teste para entrada em universidades do País. Estude com videoaulas, livros digitais, questões e muito mais!

CTA curso Enem
Você pode gostar também
Caverna de platao
Leia mais

Caverna de Platão: o que é?

A filosofia antiga inovou em conhecimento, pois buscou explicar o mundo com mais racionalidade. Nesse sentido, Platão formulou…