Grécia Antiga: sociedade, política, história e cultura

Grécia Antiga: sociedade, política, história e cultura

A Grécia Antiga é um conjunto de povos que se desenvolveu na Península Balcânica, que eram unidos pela língua em comum: o grego. Essa civilização é de grande importância para a constituição da sociedade atual, pois suas influências abrangem a matemática, as artes, a filosofia, a política, entre outros campos do conhecimento. 

Se você quer conhecer mais sobre a civilização da Grécia Antiga, como sua política, organização social, produção de conhecimento e as características históricas, continue a ler este artigo. 

Não deixe de conferir também a resolução de uma questão do Enem sobre esse tema, ao fim do texto. Esse processo é muito importante para o estudo pré-vestibular, pois te ajuda na compreensão do raciocínio no momento da prova. Vamos lá?

Inscreva-se em nossa newsletter🦉

Receba dicas de estudo gratuitas e saiba em primeira mão as novidades sobre o Enem, Sisu, Encceja, Fuvest e outros vestibulares!

História da Grécia Antiga

A formação da Grécia Antiga é resultante do estabelecimento de povos indo-europeus que chegaram ao local, entre eles os aqueus, os jônios, os eólios e os dórios. Pouco a pouco, eles se espalharam pelo território em diferentes épocas, por volta de 2000 a.C. Nesse momento, os indivíduos estavam incluídos em duas civilizações principais: os micênicos e os cretenses.

Os cretenses ficaram conhecidos por esse nome porque se fixaram ao redor do mar Egeu, principalmente, na Ilha de Creta. A população era proveniente da Ásia Menor e existia antes mesmo da chegada dos indo-europeus. 

Você pode observar, no mapa abaixo, o mar Egeu e seus arredores. 

mapa da Grécia Antiga
Imagem: Reprodução/Wikimedia

Quando as novas populações começaram a migrar para a região, surge a civilização micênica. Esse grupo se autodenominava por “aqueus” e nasceu a partir da mistura com os povos já existentes na região do mar Egeu. 

Existiu atividade comercial entre os micênicos e outras regiões do mar Mediterrâneo e arredores. Os saberes se misturaram e a metalurgia, a agricultura e a comunicação foram impulsionados nessa época. Foi aqui, por exemplo, que alguns fonemas começaram a nascer de maneira registrada e escrita — atualmente, esses documentos representam material para o entendimento do grego arcaico.

A formação da língua grega passa, portanto, pela fusão entre a cultura, os costumes e características de povos originários de diversas regiões do planeta.

Em cerca de 1200 a.C., a civilização micênica sofre uma invasão dos povos dórios, conhecidos pela sua grande dedicação ao militarismo e expansionismo. Para eles, a guerra era uma forma de encontrar recursos e garantir a sobrevivência.

Além dessa marcante característica, os dórios são os precursores da manipulação cerâmica na Grécia Antiga. Veja, a seguir, uma imagem de artifícios cerâmicos da época:

Artes de museu da Grécia Antiga
Imagem: Reprodução/Wikimedia

Períodos históricos na Grécia Antiga

Os períodos da história grega podem ser definidos da seguinte forma:

  • Pré-homérico: momento de chegada dos imigrantes e formação da civilização micênica;
  • Homérico: quando se passam as histórias épicas escritas por Homero. Aqui, também, se formam os genos, pequenas comunidades familiares em que um líder tinha a função de organizar o trabalho, as decisões sociais e a religião — entende-se que houve uma regressão nos padrões sociais, devido a invasão dórica;
  • Arcaico: quando os genos já não conseguiam dar conta da sobrevivência da população em crescimento, novas organizações sociais começam a aparecer, aqui nascem as cidades-estado, como Atenas e Esparta; e
  • Clássico: ocasião em que Atenas domina as cidades-estado, com maior influência e, depois, Esparta faz o mesmo — o período se encerra quando os macedônios dominam os territórios e inicia-se o helenismo.

Política na Grécia Antiga

Como vimos, uma das primeiras organizações sociais da Grécia Antiga são os genos. Nesses grupos, estavam pessoas com a mesma linhagem familiar, que acreditavam e/ou sabiam possuir um ancestral em comum.

Ali, o “pater família” era o líder principal, como uma figura de autoridade familiar. Diante desse cenário tão nuclear, os indivíduos compartilhavam tarefas e deveres que visavam o bem comum e o compartilhamento mútuo dos benefícios. 

Entretanto, pouco a pouco, surgiram focos de dominação e controle dentro dos próprios genos. No decaimento dessa organização, genos diferentes se associaram para formar as fratrias. 

O cálculo é simples: o problema de desigualdade continuou dentro das fratrias e, assim, gradativamente surgia uma nova forma de vida social, as cidades-estado.  Isso tudo aconteceu durante o Período Arcaico da história da Grécia Antiga. 

Nesse ponto, então, é importante falar sobre a política em uma das principais cidade-estado: Atenas. Governada de forma autônoma, ainda que dentro do contexto da Grécia Antiga, essa civilização ganha destaque porque foi o berço da democracia

Na época, a ideia era debater sobre as decisões políticas e sociais em um local em que todos os cidadãos tivessem direito a opinião. Para isso, existiam as ágoras, praças em que ocorriam esses debates e as decisões eram tomadas nas Assembleias (ekklesias). 

Aqui, inclusive, a democracia ocorria de forma direta: o cidadão poderia opinar diretamente com os políticos para chegar à melhor conclusão a respeito da questão.

A maior questão, entretanto, era a segregação e condições para que um indivíduo fosse considerado cidadão, veja:

  • Ser homem;
  • Ter mais de 18 anos; e
  • Ser ateniense e filho de pais atenienses.

Diante disso, é relevante perceber que esse modelo tão antigo é base para a governança em diversas nações até os dias atuais.

Questão do Enem

(Enem 2020)

Na Grécia, o conceito de povo abrange tão somente aqueles indivíduos considerados cidadãos. Assim é possível perceber que o conceito de povo era muito restritivo. Mesmo tendo isso em conta, a forma democrática vivenciada e experimentada pelos gregos atenienses nos séculos IV e V a.C. pode ser caracterizada, fundamentalmente, como direta.

MANDUCO, A Ciência Política. São Paulo: Saraiva. 2011.

Naquele contexto, a emergência do sistema de governo mencionado no excerto promoveu o(a)

a) competição para a escolha de representantes.
b) campanha pela revitalização das oligarquias.
c) estabelecimento de mandatos temporários.
d) declínio da sociedade civil organizada.
e) participação no exercício do poder.

Primeiramente, é importante perceber que o termo “emergência”, nesse enunciado, está como sinônimo de “surgimento”. Além disso, o sistema de governo citado é a democracia, diretamente mencionada no trecho. 

Diante dessas informações, basta comparar a democracia grega com as alternativas apresentadas. A possibilidade de opinar diretamente nas questões políticas abriu as portas para que o exercício do poder fosse participativo, ainda que restritivo. Então, a melhor afirmativa é a letra E. 

+ Conheça mais: Antiguidade clássica: histórico, o que é e quais os povos

Estude para o Enem com a Coruja!

Baixe o Guia do Enem do Estratégia Vestibulares e tenha em mãos um resumo sobre os temas mais cobrados do Enem, dicas de redação, calendário do edital, checklist de conteúdo para que você não esqueça nenhum item, explicação sobre as notas do TRI, entre outras informações.

CTA curso Enem

Veja também:

Você pode gostar também
olimpiadas
Leia mais

Olimpíadas: como surgiu?

Conheça a história das olimpíadas, como surgiram os jogos e curiosidades sobre um dos maiores eventos esportivos do mundo!