Classicismo: o que é, contexto histórico e características

Classicismo: o que é, contexto histórico e características

O classicismo é um movimento artístico e literário que ocorreu durante o renascimento cultural, na Europa do século XV. Marcada pelo fim da Idade Média e surgimento da Idade Moderna, a época retoma as características da antiguidade clássica greco-romana.

Continue lendo este texto e veja um resumo sobre o classicismo, o contexto histórico de seu surgimento, principais autores e artistas. Veja também como esse tema já foi cobrado na prova do Enem, com resolução completa.

Contexto histórico do surgimento do classicismo

O classicismo surge em um momento de profundas transformações sociais, quando o mundo europeu transitava do medievalismo para a modernidade, com suas ideias mais inovadoras, voltadas ao individualismo e à racionalidade humana. Entenda melhor a seguir. 

Durante a Idade Média, a sociedade era pautada em um modelo teocêntrico, quando as opiniões divinas eram consideradas para todas as decisões do governo. Na figura da Igreja e do clero, durante o feudalismo, todos os livros, pessoas e obras poderiam ser julgados pela religião. 

Inscreva-se em nossa newsletter🦉

Receba dicas de estudo gratuitas e saiba em primeira mão as novidades sobre o Enem, Sisu, Encceja, Fuvest e outros vestibulares!

Por volta do século XV, novas ideias começaram a borbulhar entre os indivíduos. Dentro da própria religião cristã, houveram as Reformas Protestantes que diminuíram a influência da Igreja Católica na sociedade. 

A invenção da imprensa possibilitou maior acesso à informação, o desenvolvimento das Grandes Navegações proporcionou maior contato com outras partes do mundo e a comercialização fortaleceu esses laços. Agora, a economia não era mais pautada em um acúmulo desenfreado de riquezas na nação, ou seja, os homens poderiam enriquecer individualmente, a partir do capitalismo recém implantado.

Diante desse cenário, a razão humana passou a ser mais valorizada. Ao invés do teocentrismo rígido, pouco a pouco surgiram ideias mais antropocêntricas, quando o ser humano fica no centro do sistema social.

No âmbito cultural, esse período ficou conhecido como Renascimento Cultural, que abrangeu todos os tipos de arte: esculturas, pinturas, literatura, música e outros estilos.

Nesse sentido, o classicismo retoma as ideias da Antiguidade Clássica (Grécia e Roma). A proposta surge porque essas civilizações são o berço do pensamento e filosofia ocidental, ou seja, aparecem como uma representação da razão.

Classicismo português

O classicismo se estabeleceu em Portugal quando o poeta Francisco Sá de Miranda retorna da Itália, com novas ideias próprias dessa escola literária: a rigorosidade formal do “doce estilo novo”. Essa métrica propunha sonetos com quatro estrofes, duas com quatro versos e as duas finais com três versos. Os versos deveriam ser decassílabos e bem sonorizados, com rimas bem definidas. 

Camões

Depois de Sá de Miranda, um dos principais autores do classicismo português foi Luís de Camões. Famoso por seus sonetos, que já apareceram na prova da Unicamp, o autor também fez a grande obra “Os Lusíadas”.

Em uma métrica perfeita para os padrões do doce estilo novo, o poema narra as aventuras das Grandes Navegações, precisamente a viagem de Vasco da Gama às Índias. 

Por mera coincidência ou não, o autor morreu no mesmo ano em que se considera o fim do classicismo: 1580. Acompanhe, abaixo, um trecho dos Lusíadas:

Canto IV

“Despois de procelosa tempestade,
Nocturna sombra e sibilante vento,
Traz a manhã serena claridade,
Esperança de porto e salvamento;
Aparta o Sol a negra escuridade,
Removendo o temor ao pensamento:
Assi no Reino forte aconteceu
Despois que o Rei Fernando faleceu.”

Outra importante obra do classicismo europeu, foi o livro “Dom Quixote”, escrita pelo espanhol Miguel de Cervantes.

Dom Quixote - clássico do classicismo
Imagem: Reprodução/Wikimedia

Classicismo no Brasil

No Brasil, o classicismo ficou conhecido como Quinhentismo, as obras dos anos 1500. O principal marco é o descobrimento do Brasil, que foi registrado na Carta de Achamento escrita por Pero Vaz Caminha, um dos escrivães da tripulação de Pedro Álvares Cabral.

Características do classicismo

Uma das mais marcantes características do classicismo é o antropocentrismo, com forte presença de elementos gregos e romanos, como deuses das mitologias clássicas. Além disso, gêneros textuais clássicos como os poemas épicos, dramaturgias e poemas líricos ressurgem com formalidade na literatura.

Os textos fogem do subjetivo e tendem a ser claros, transparentes e diretamente objetivos. Nessa época, o autor não deveria ser o foco do texto — todo o esforço era empenhado para esconder as opiniões ou ideias do escritor, por exemplo.

O racionalismo científico estava presente nas obras, em estruturas rigorosas e harmônicas, que tentavam construir uma ideia de sobriedade e equilíbrio.

+ Veja mais: Texto Literário: conceitos e características

Questão do Enem sobre classicismo

Enem 2012

LXXVIII (Camões, 1525?-1580)

Leda serenidade deleitosa,
Que representa em terra um paraíso;
Entre rubis e perlas doce riso;
Debaixo de ouro e neve cor-de-rosa;

Presença moderada e graciosa,
Onde ensinando estão despejo e siso
Que se pode por arte e por aviso,
Como por natureza, ser fermosa;

Fala de quem a morte e a vida pende,
Rara, suave; enfim, Senhora, vossa;
Repouso nela alegre e comedido:

Estas as armas são com que me rende
E me cativa Amor; mas não que possa
Despojar-me da glória de rendido.

CAMÕES, L. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2008.

imagem do classicismo

SANZIO, R. (1483-1520) A mulher com o unicórnio. Roma, Galleria Borghese. (Foto: Reprodução/Enem)

A pintura e o poema, embora sendo produtos de duas linguagens artísticas diferentes, participaram do mesmo contexto social e cultural de produção pelo fato de ambos

a) apresentarem um retrato realista, evidenciado pelo unicórnio presente na pintura e pelos adjetivos usados no poema

b) valorizarem o excesso de enfeites na apresentação pessoal e na variação de atitudes da mulher, evidenciadas pelos adjetivos do poema

c) apresentarem um retrato ideal de mulher marcado pela sobriedade e o equilíbrio, evidenciados pela postura, expressão e vestimenta da moça e os adjetivos usados no poema

d) desprezarem o conceito medieval da idealização da mulher como base da produção artística, evidenciado pelos adjetivos usados no poema

e) apresentarem um retrato ideal de mulher marcado pela emotividade e o conflito interior, evidenciados pela expressão da moça e pelos adjetivos do poema

Tanto a imagem quanto o poema trabalham com a imagem da mulher. O soneto de Camões traz palavras como “serenidade”, “suave”, “graciosa” e “moderada”, o que confere uma ideia de equilíbrio para o contexto. 

A pintura, de modo semelhante, apresenta cores sóbrias, sem tons vibrantes. A mulher é pintada em uma postura “adequada”, formal, com uma vestimenta mais fechada — todas essas características apontam para “um retrato ideal de mulher marcado pela sobriedade e o equilíbrio, evidenciados pela postura, expressão e vestimenta da moça e os adjetivos usados no poema” (alternativa C).

Estude para o Enem com a Coruja!

O Estratégia Vestibulares fornece as principais ferramentas para os seus estudos: cronograma de estudos, 4.500 questões inéditas do Enem, cronograma de disciplinas, cursos de humanas, linguagens e exatas. Para a redação, você tem direito à correção ilimitada e aulas especializadas. Não perca tempo, clique no banner e conheça mais!

Veja também:

Você pode gostar também