Órgãos do sentido: quais são e como funcionam

Órgãos do sentido: quais são e como funcionam

Ouvir uma música, desfrutar da maciez da seda, assistir a um pôr do sol, sentir o gosto adocicado e gelado de um sorvete em um dia de verão e sentir o perfume da pessoa amada são capacidades humanas que surgem a partir dos órgãos do sentido.

Para além de embelezar a vida e tornar o dia a dia mais leve, a visão, a audição, o olfato, o tato e o paladar se relacionam com a sobrevivência de nossa espécie no ambiente em que estamos inseridos. Acompanhe mais informações sobre isso nos tópicos abaixo.

O que são órgãos do sentido?

Os órgãos do sentido ou órgãos sensoriais são estruturas corporais que possuem uma histologia desenvolvida para captar os estímulos externos, transmiti-los como impulso nervoso e gerar sensações diferentes em cada situação e indivíduo.

Por exemplo, quando passamos a mão em uma superfície, essa ação ativa receptores corporais que enviam sinais para esses órgãos. A partir de então, poderemos perceber, tatilmente, se o objeto é áspero ou liso, macio ou rígido, entre outras informações.

Os órgãos do sentido e suas funções

Os estímulos sensoriais podem ser acessados a partir de cinco vias. Com os órgãos do sentido podemos distinguir um objeto ou situação conforme o que vemos, ouvimos, tocamos, sentimos gosto e cheiramos. Entenda melhor nos tópicos a seguir.

Tato

O principal órgão do sentido para o toque é a pele. Ela possui receptores táteis que conseguem perceber, por exemplo, a forma e as dimensões de um corpo.

Também são aptos a distinguir a intensidade do toque. Ou seja, o corpo humano percebe quando uma força maior está sendo aplicada na pele.

No caso das temperaturas, os mecanismos notam o calor ou o frio, ativando outros sistemas fisiológicos que atuem para a homeostase corporal apesar das variações que acontecem no meio externo ao corpo.

Por exemplo, no calor do verão tropical de grande parte do Brasil, a pele envia os estímulos de temperatura para o resto do corpo. Por sua vez, as glândulas sudoríparas são acionadas e promovem a liberação do suor, um líquido formado por água e sais minerais que ajuda na regulação térmica do corpo humano.

Nas regiões mais frias, como no inverno do Sul do país, os receptores de frio estimulam a pele e seus anexos. Nesse caso, os pêlos ficam eriçados e ajudam a reter calor no indivíduo.

Olfato

O olfato é uma experiência sensorial que consegue observar e emitir sinais para diferentes odores. Ele atua em conjunto com a respiração e também se associa com a percepção de gostos, no paladar.

Quando um indivíduo inspira um aroma, ele chega até o teto das cavidades nasais. Ali são encontradas organizações histológicas neuronais que conseguem transmitir essa informação agora o lobo olfativo do cérebro, no qual a informação é decodificada e o cheiro é distinguido.

Paladar

O principal órgão do sentido para o paladar é a língua. Essa estrutura muscular que fica na cavidade bucal possui receptores e papilas gustativas especializadas em orientar o sabor que sentiremos.

Cada um dos tipos papilares recebe adequadamente um tipo de gosto. É por isso que a língua pode ser dividida em 5 regiões distintas:

  • A ponta ou ápice desse órgão do sentido atua na recepção dos doces; 
  • Nas laterais da frente da língua, os alimentos salgados são compreendidos com mais facilidade;
  • Na lateral mais próxima do fundo da boca, as papilas foliadas captam com maior afinco os sabores azedos; e 
  • Na porção mais funda da língua as papilas circunvaladas captam os sabores amargos.

Veja melhor no esquema a seguir:

órgãos do sentido - língua, paladar
Imagem: Reprodução/Wikimedia

Além da presença das papilas gustativas como receptores, a saliva também atua na dissolução das substâncias alimentícias e favorece a percepção e distinção dos sabores.

É importante notar que a função da língua não se restringe ao papel de órgão do sentido. Ela também ajuda na digestão mecânica do alimento, empurrando-o contra a língua. Outro ponto relevante é a presença de estruturas de defesa em sua porção final, que juntas formam um componente do sistema imunológico.

Audição

A audição é o sentido humano capaz de reconhecer as ondas de frequências sonoras específicas. Depois que adentram a porção externa das orelhas, essas ondas atravessam a membrana timpânica, onde são amplificadas. 

Entende-se, portanto, que o ouvido é um órgão do sentido auditivo que pode ser acessado por meio das orelhas. A porção mais interna desse órgão abriga a cóclea com o nervo auditivo, que é responsável por reverberar os sons e possibilita a decodificação dessa informação no cérebro.

Outra função importante desse órgão sensorial está na manutenção do equilíbrio corporal por meio dos canais semicirculares, também conhecidos como labirinto. A percepção da posição corporal passa por essa estrutura e pela estabilidade do líquido que ela abriga. 

A inflamação desse local é a labirintite, doença que “bagunça” o posicionamento corporal e causa muita tontura nos indivíduos que a possuem.

Veja a figura a seguir que mostra a anatomia do ouvido humano:

Órgãos do sentido: ouvido, audição
Imagem: Reprodução/Wikimedia

Visão

Por último, vamos tratar sobre a visão, que possui o olho como órgão do sentido principal. A estrutura ocular é responsável por receber os estímulos luminosos e convertê-los em imagens no cérebro.

O local de formação das figuras é a retina, que fica na parte mais traseira do olho. Os fotorreceptores principais são:

  • Os cones, que atuam na formação da imagem central e colorida; e 
  • Os bastonetes, que captam a imagem periférica e noturna.

Um elemento importante da visão são as pupilas, que conseguem regular a quantidade de raios luminosos que poderão passar para dentro do olho.

Quando a imagem é formada, ela está invertida (de ponta cabeça). O nervo óptico é o elemento do sistema nervoso com a função de conectar os olhos e o cérebro, onde a imagem é “virada” e interpretada. 

Saiba mais sobre os órgãos do sentido com a Coruja 

Quer aprofundar seu entendimento sobre os estímulos sensoriais e a relação do corpo humano com seu meio? Clique no banner abaixo e conheça os cursos oferecidos pelo Estratégia Vestibulares. A formulação das aulas e o acesso ao fórum de dúvidas te ajudarão no estudo pré-prova.  

Você pode gostar também