Globalização: o que é, origem, contexto histórico e importância

Globalização: o que é, origem, contexto histórico e importância

A globalização é um dos conceitos geográficos mais citados no mundo atual: seja pela facilidade de comunicação entre os diferentes continentes, seja pela interação política entre diversas nações, seja pela comercialização de produtos a nível global, os indivíduos do século XXI estão inseridos em um contexto globalizado.

Neste artigo, você encontrará os principais tópicos em torno da globalização, como a definição do termo, qual a origem desse arranjo entre os países, em qual contexto histórico ele se intensificou e qual a sua importância para o estudo pré-vestibular, com exemplos de questões sobre o assunto.

O que é globalização?

A globalização é um termo que surgiu no final do século XX, quando o mundo adquiriu um novo comportamento político, social e econômico. Nesse momento, o fluxo de informações, dinheiro e pessoas entre nações de diferentes continentes se intensificou — observados esses padrões, encontrou-se um espaço geográfico generalizado, que abrange todo o globo terrestre.

Grande parte do processo de globalização está atrelado às tecnologias, elas permitiram um maior desenvolvimento industrial e econômico, que foi responsável pelo estabelecimento de relações internacionais em diversos países. Ao mesmo tempo, ferramentas como a internet possibilitaram o acesso a informações importantes em uma alta velocidade, com chance de conexões instantâneas.

Qual a origem da globalização?

Atualmente, entende-se que os primórdios da globalização são as Grandes Navegações. Esse é o primeiro evento de magnitude importante que tinha por objetivo o desbravamento de novas terras e o estabelecimento de conexões entre diferentes territórios. 

Por meio das embarcações, foram construídas as primeiras redes entre os continentes. Seja por meio da colonização das Américas ou pela troca de produtos comerciais com a Ásia, o mundo começava a tornar-se mais unido. Agora, as relações globais estavam entre as pautas políticas, decisões econômicas e características sociais.

Esses traços podem ser observados, por exemplo, quando os escritos cartográficos começam a ser desenvolvidos: isso indica a necessidade de conhecimento do globo terrestre, afinal, os homens gostariam de desbravar novas terras e encontrar novas matérias primas.

Contexto histórico

Com as revoluções industriais, os países passaram a estabelecer ainda maior contato entre si: a busca de matéria prima, a expansão do mercado consumidor e a troca de informações para o avanço tecnológico eram os principais objetivos das nações naquele momento. 

Por fim, com a Terceira Revolução Industrial, foi o período em que a globalização se tornou ainda mais explícita na sociedade. Como consequência do surgimento da internet como um sistema de comunicação, além das tecnologias de transporte, cada vez mais as decisões de um país afetam o outro e assim sucessivamente. 

No dias atuais, por exemplo, é possível observar como os conflitos que ocorrem na Ásia ou Europa podem resultar em mudanças econômicas no Brasil e países latino-americanos. O conflito entre Rússia e Ucrânia em 2022 afetou as decisões de diversas nações sobre o petróleo e os combustíveis derivados dele, demonstrando uma interligação econômica globalizada.

Quais as características da globalização?

Em termos econômicos, o mundo globalizado está inserido em um contexto de capitalismo financeiro — algo que está atrelado à expansão mundial de empresas e ao aumento da concorrência de mercados consumidores. 

Por exemplo, muitas indústrias optam por um modelo de produção transnacional, quando existem filiais em diversos países, cada uma responsável por uma parte do processo produtivo. 

O estabelecimento dessas multinacionais visa mão de obra e matéria prima barata, a fim de conseguir o menor custo possível — a ideia é que o produto custe pouco e o lucro da empresa seja alto.

Outro ponto característico de um mundo globalizado é a presença das bolsas de valores e dos bancos. Essas ferramentas são utilizadas para que os mais abastados emprestem seus dinheiros ao banco, com juros, ao mesmo tempo em que o banco empresta esse dinheiro àquele que busca, por meio de juros ainda maiores.

Os blocos econômicos também são instituições próprias da globalização: eles constroem alianças entre diferentes nações. Entre os objetivos esperados nesse caso estão: diminuição das tarifas alfandegárias, aumento da circulação de pessoas e mercadorias entre as nações membros, unificação do sistema econômico, a depender do tipo de organização escolhida em cada caso.

Diferentemente do que aconteceu durante a Guerra Fria, quando União Soviética e Estados Unidos disputavam a hegemonia mundial, a globalização é marcada por estratégias políticas multipolares.

Dessa maneira, não são duas nações que coordenam as decisões políticas e possuem grande influência — um grande número de países possuem bases políticas e econômicas fortes o suficiente para regular a geopolítica mundial.

Globalização e cultura

A globalização também envolve aspectos culturais das nações. O intercâmbio cultural entre diversos países ficou facilitado, principalmente, porque a internet consegue fornecer informações sobre as leis, a moral, os costumes, as artes e a culinária de outros países sem barreiras físicas. 

Com as ferramentas de busca, é possível compreender as características culturais de quase todos os países, quase sempre na palma da mão, por meio dos celulares. 

Fato é que esse processo não acontece de forma homogênea para todas as nações — os países mais desenvolvidos têm maior poder político e econômico para difundir sua cultura e, a partir disso, conseguir turistas, lucro e apreciação. 

Um bom exemplo é que grande parte dos filmes e músicas que fazem sucesso tem origem estadunidense. É raro que uma produção cinematográfica angolana seja um sucesso de cartaz do cinema. 

Perceba que a cultura passou a ser, então, uma mercadoria. Em termos sociológicos, trata-se de um processo de venda dos artigos culturais, com a perda da cultura como um elemento de identificação — esse fenômeno é conhecido como indústria cultural.

Questões sobre globalização

FUVEST 2014

O local e o global determinam-se reciprocamente, umas vezes de modo congruente e consequente, outras de modo desigual e desencontrado. Mesclam-se e tensionam-se singularidades, particularidades e universalidades. Conforme Anthony Giddens, “A globalização pode assim ser definida como a intensificação das relações sociais em escala mundial, que ligam localidades distantes de tal maneira que acontecimentos locais são modelados por eventos ocorrendo a muitas milhas de distância e vice-versa. Este é um processo dialético porque tais acontecimentos locais podem se deslocar numa direção inversa às relações muito distanciadas que os modelam. A transformação local é, assim, uma parte da globalização”.

Octávio Ianni, Estudos Avançados. USP. São Paulo, 1994. Adaptado.

Neste texto, escrito no final do século XX, o autor refere-se a um processo que persiste no século atual. A partir desse texto, pode-se inferir que esse processo leva à

a) padronização da vida cotidiana.
b) melhor distribuição de renda no planeta.
c) intensificação do convívio e das relações afetivas presenciais.
d) maior troca de saberes entre gerações.
e) retração do ambientalismo como reação à sociedade de consumo.

No trecho “acontecimentos locais são modelados por eventos ocorrendo a muitas milhas de distância e vice-versa” o autor deixa claro que a influência do global no cotidiano é muito grande nos dias atuais. A alternativa que melhor corresponde a essa ideia é a letra A.

Estude para a Fuvest com a Coruja!

No curso extensivo para a Fuvest você encontra aulas sobre as obras literárias, matemática, gramática, física, gramática, interpretação textual, biologia, geografia, química, história, entre outras matérias. Além disso, você tem acesso a um planejamento de estudos, ferramenta essencial para o bom andamento da sua trajetória pré-vestibular. Quer saber mais? Clique no banner abaixo.

Veja também:

Você pode gostar também