Organelas celulares: quais são, funções, tipos e exercícios

Organelas celulares: quais são, funções, tipos e exercícios

É muito comum ouvir dizer que “a célula é a unidade fundamental da vida”, então, as organelas celulares compõem a maquinaria necessária para o crescimento e desenvolvimento do ser vivo. Essas estruturas se dispõem no citoplasma e desempenham as funções necessárias para cada tipo celular.

No texto abaixo, você conhecerá melhor as diferentes organelas celulares, como o retículos endoplasmáticos liso e rugoso, ribossomos, mitocôndrias, complexo golgiense, lisossomos, peroxissomos, entre outros tipos. Além disso, entenda a função dessas maquinarias e como elas se relacionam com o papel de célula em um organismo. 

Ao final, encontre um conjunto de questões de vestibulares que abordam esse tema, assim, você verá como o assunto é cobrado nas provas, o que direciona o seu olhar para o estudo e revisão do conteúdo. Vamos lá?

Inscreva-se em nossa newsletter🦉

Receba dicas de estudo gratuitas e saiba em primeira mão as novidades sobre o Enem, Sisu, Encceja, Fuvest e outros vestibulares!

O que são organelas celulares?

O termo organela remete a “pequeno órgão”, ou seja, as organelas celulares são estruturas minúsculas que desempenham funções básicas para o metabolismo das células. Por meio delas, cada célula é capaz de receber nutrientes, formar substâncias importantes para o organismo, formar energia, oxidar substratos, entre outros mecanismos. 

Esses componentes celulares podem ser divididos em dois grandes grupos: organelas membranosas, que são envolvidas por membranas fosfolipídicas e organelas amembranosas, que não possuem esse envoltório.

A classificação é importante porque os seres vivos procariontes não possuem organelas membranosas, um fator de diferenciação entre esses grupos. Além disso, entre os eucariontes, as organelas também se distribuem de maneira diferente: as células vegetais possuem algumas estruturas específicas deste reino, assim como as células animais. 

+ Veja mais: Tipos de células: eucariontes, procariontes e diferenças

Tipos de organelas celulares

Ribossomos

São organelas sem envoltório membranoso, presente em seres procariontes e eucariontes. Os ribossomos desempenham uma função fundamental para o desenvolvimento e funcionamento dos organismos: a tradução de proteínas.

Com características diferentes, as estruturas ribossômicas são capazes de se acoplar ao ácido ribonucleico (RNA) e concretizar a ligação peptídica entre aminoácidos. Assim, as moléculas protéicas são formadas pouco a pouco. Eles podem ficar dispersos no citoplasma e têm formato arredondado, por isso, muitas vezes são comparados a grânulos. 

Núcleo 

O núcleo é uma organela específica das células eucariontes que, inclusive, é duplamente envolto por membranas. Esse envoltório é conhecido como envelope nuclear, que separa o conteúdo do núcleo da matriz citoplasmática.

A principal função do núcleo é abrigar o material genético, que está contido nos ácidos nucleicos, dispostos em cromossomos nucleares. Além disso, o núcleo abriga os nucléolos: estruturas celulares responsáveis por sintetizar subunidades ribossomais.

Mitocôndria

Muito famosa por seu papel energético, a mitocôndria é uma organela membranosa que também se separa do ambiente citoplasmático. Inclusive, as mitocôndrias possuem um novo conteúdo para preencher o espaço interior: a matriz mitocondrial.

Em termos de disposição, a camada membranosa mais interna se invagina para formar espécies de “ondas”, conhecidas como cristas mitocondriais.

Toda essa estrutura favorece a principal função da organela: fornecer energia para a célula. Nas cristas, o transporte de elétrons favorece a formação de ATP, a moeda energética dos organismos. 

Plastos

Em termos de células vegetais, existem algumas organelas chamadas de plastos, que se dividem em três tipos:

  • Leucoplastos participam do armazenamento de amido para a reserva energética;
  • Cloroplastos têm uma estrutura análoga à das mitocôndrias, possuem um pigmento verde (clorofila) e atuam no processo de fotossíntese; e
  • Por fim, os cromoplastos conferem cor às frutas, flores, folhas e até mesmo raízes.

Retículo endoplasmático

Existem dois tipos de retículos endoplasmáticos, o liso (R.E.L.) e o rugoso (R.E.R.). Nos esquemas, a principal diferença entre os dois é a presença de ribossomos aderidos na parede do RER.

Em termos funcionais, cada um desempenha papéis específicos:

  • O retículo endoplasmático rugoso (ou granuloso) dedica-se, principalmente, à formação de proteínas membranosas, dobramento dessas moléculas e endereçamento para outros locais;
  • Já o R.E.L. está associado com a síntese de lipídios, desintoxicação da célula e transporte de substâncias no ambiente intracelular.

Complexo de Golgi

O complexo de Golgi, ou complexo golgiense, é uma organela celular multifuncional, com atribuições relevantes nos processos de:

  • Armazenamento, empacotamento e secreção de moléculas e substâncias;
  • Produção glicídios, moléculas presentes no glicocálice, constituintes da membrana celular;
  • Produção de lisossomos (outro tipo de organela que será referido abaixo);
  • Adição de grupos químicos às proteínas, regulando a atividade, resistência e localização proteica; e
  • Nas células vegetais, participa ativamente da divisão celular,. Participação ativa na divisão celular — nas células vegetais — com a criação da lamela média que separa o citoplasma.

Lisossomos

Organelas membranosas que possuem enzimas de caráter ácido em seu interior, conhecidas como hidrolases. Podemos comparar essa estrutura com um estômago, pois participa da digestão de substâncias — está presente nos processos de fagocitose, autodigestão celular, autodestruição da célula ou apoptose.

Peroxissomos

Os peroxissomos são organelas pequenas, que muitas vezes se assemelham ao aspecto granular dos ribossomos. A função dessa estrutura é desintoxicar a célula, principalmente na presença de radicais livres. 

No interior desta organela celular existe a enzima catalase, que reduz a água oxigenada (tóxica para os organismos) em moléculas de água e oxigênio normais. Inclusive, durante a ingestão de álcool, os peroxissomos também participam do processo de desintoxicação.

Centríolos

Os centríolos são estruturas amembranosas, que se localizam no citoplasma celular e têm grande relevância na formação de cílios celulares (não as pestanas dos olhos), flagelos (como nos espermatozoides) e fibras do fuso (redes utilizadas para a divisão cromossômica, durante a mitose e meiose).

+ Veja também: Bioquímica celular: o que é, organelas, metabolismo e mais

Como são dispostas as organelas celulares?

Durante o desenvolvimento dos seres vivos, cada célula recebe uma função específica. A partir disso, algumas organelas se tornam mais evidentes em alguns tipos celulares, do que em outros. 

Por exemplo, em organismos flagelados, como as giárdias, o centríolo é relevante para garantir a locomoção do protozoário. Os tecidos do sistema imunológico são repletos de lisossomos para realizar a fagocitose e induzir a morte de patógenos que adentrem a célula.

O complexo de golgi é muito proeminente em células mucoides, pois ele é responsável por produzir moléculas que compõem o muco, popularmente conhecido como “catarro”. 

Agora que você já tem uma visão geral das organelas e conhece a função específica de cada uma, veja a resolução de questões do vestibular sobre o tema.]

Exercício de vestibulares sobre organelas celulares

(UFSCar – 2004) A droga cloranfenicol tem efeito antibiótico por impedir que os ribossomos das bactérias realizem sua função. O efeito imediato desse antibiótico sobre as bactérias sensíveis a ele é inibir a síntese de:

a) ATP.
b) DNA.
c) proteínas.
d) RNA mensageiro.
e) lipídios da parede bacteriana.

Os ribossomos são as organelas responsáveis pela síntese de proteínas. Ao fazer a leitura de RNA mensageiros, a estrutura promove a interação entre diferentes aminoácidos, que formam a cadeia polimérica das proteínas. Dessa forma, a alternativa que melhor responde ao enunciado é a letra C.

Como você responderia o exercício abaixo? Observe as alternativas e liste quais são os pontos corretos e incorretos em cada opção, depois compare sua resposta com aquela que foi proposta pela Coruja.

(UEPG) O citoplasma constitui a maior parte do volume celular. Assinale a alternativa correta, considerando-se as organelas citoplasmáticas e suas funções.

a) O retículo endoplasmático não granuloso (ou retículo endoplasmático liso) não apresenta ribossomos aderidos à superfície de suas membranas e é uma organela responsável pela troca gasosa entre os meios interno e externo.

b) Uma função atribuída ao complexo de Golgi é atuar em etapas da secreção celular de substâncias, como enzimas, hormônios e muco.

c) Os peroxissomos são organelas membranosas repletas de enzimas, as quais são necessárias à digestão intracelular.

d) As mitocôndrias são delimitadas por duas membranas, sendo que a interna é cheia de dobras e repleta de ribossomos aderidos, portanto, as mitocôndrias são responsáveis pela síntese proteica.

e) O retículo endoplasmático granuloso (ergastoplasma) possui membranas com pequenos grânulos que armazenam substâncias necessárias ao suprimento celular, tais como carboidratos e lipídeos.

A alternativa correta é a letra B e, abaixo, observe a justificativa para a exclusão das outras opções:

  • O retículo endoplasmático liso não faz troca gasosa;
  • Os peroxissomos fazem parte da desintoxicação celular, a digestão é papel dos lisossomos;
  • A membrana interna da mitocôndria não tem ribossomos aderidos;
  • O R.E.R. é voltado para síntese proteica e os grânulos aderidos à membrana são ribossomos.

Estude para o vestibular com o Estratégia!

Conheça os pacotes e cursos intensivos da Coruja: reunimos as informações essenciais para um bom estudo pré-prova, com aulas de atualidades, de planejamento de estudos, de obras literárias, entre outras ferramentas. Clique no banner e saiba mais!

Veja também:

Você pode gostar também