Capitalismo no Enem: características, fases, questões e mais!

Capitalismo no Enem: características, fases, questões e mais!

Os sistemas político-econômicos são o motor das sociedades durante toda a história da humanidade. Por isso, compreender os conceitos de comunismo, socialismo, capitalismo, anarquismo (entre outros), devem estar bem consolidados para os vestibulandos.

Para te manter atualizado e favorecer o seu desempenho nas provas, o Estratégia Vestibulares preparou um artigo sobre o sistema capitalista e suas características. Confira!

O que é o Capitalismo?

O capitalismo é definido como um sistema econômico em que os principais eixos são a obtenção de lucro e o fortalecimento da propriedade privada na sociedade. Desse modo, as estruturas produtivas estão pautadas nas trocas comerciais, as quais visam o maior acúmulo de capital para os indivíduos ou organizações.

Origem do Capitalismo

Esse sistema surgiu há muito tempo, quando o feudalismo se enfraquecia, durante a Baixa Idade Média. Nesse período, formaram-se alguns centros comerciais ao redor das muralhas feudais – os famosos burgos. 

Com o declínio da organização feudal, os burgueses se fortaleceram e iniciou-se uma urbanização europeia – o que alterou os poderes políticos e hierárquicos da época. Nesse mesmo contexto, as cruzadas favoreceram o contato com outras nações, com destaque para a Quarta Cruzada, que impulsionou a interação entre Ocidente e Oriente. 

Ao mesmo tempo, surgia uma maior racionalidade da população, que adquiriu conhecimento sobre moedas, instrumentos de cultivo e produção de excedentes. Tais modificações foram cruciais para a diminuição da fome, a saída do eixo agrícola e formação de uma nova estrutura socioeconômica. 

Ademais, o mercantilismo das Grandes Navegações, impulsionou o acúmulo de riquezas e novas formas de produção. 

Fases do capitalismo

O sistema capitalista passou por três grandes fases, a comercial, a industrial e a financeira. Compreenda melhor nos tópicos a seguir:

Comercial

No início do desenvolvimento capitalista, as aglomerações urbanas e industriais não eram de grande porte e estavam em processo de consolidação. Justamente por isso, a economia era voltada especialmente para as feiras e centros de trocas comerciais brutas.

A riqueza de uma nação era medida conforme a capacidade de acumular produtos e matérias-primas em seu território. Esse conceito ficou conhecido como mercantilismo e esteve muito presente durante as Grandes Navegações e o colonialismo europeu. 

Os principais pilares dessa época eram:

  • A manutenção de uma balança comercial favorável, em que o valor de exportação deveria ser maior que a taxa de importação;
  • A busca por matérias primas com baixo valor de compra, o que impulsionou  a exploração internacional;
  • Manufatura para a transformação de matérias-primas, com enfoque para a produção têxtil; e 
  • O metalismo, que consistiu no empenho para a máxima acumulação de metais preciosos no território nacional.

Industrial

Já o capitalismo industrial é marcado pelo fortalecimento da produção industrial, principalmente, após a Primeira Revolução Industrial, no século XVIII.

Nesse período, o poder dos burgueses se consolidou e permitiu uma forte ascensão da exploração colonial.Também foi nessa época que surgiram muitas cidades europeias, com condições de vida precária e grande tendência à miséria.

O país mais relevante desse momento foi a Inglaterra, mas grande parte da Europa se empenhou na importação da matéria prima bruta – geralmente como fruto da exploração humana. Enquanto isso, esses materiais eram manufaturados dentro do continente europeu e exportados com maior valor agregado. 

Para a regulação econômica, prevaleciam as ideias do liberalismo de Adam Smith, que acreditava na mão invisível do mercado e na mínima intervenção estatal sobre a economia. 

Financeiro

Por sua vez, o capitalismo financeiro é marcado por uma forte influência das bolsas de valores e especulações monetárias. 

Esse tipo de sistema se tornou mais forte depois da ascensão do capital bancário – principalmente após a Primeira Guerra Mundial. 

Nesse sistema, as trocas comerciais estão sempre mediadas por bancos e instituições financeiras que regulam toda a movimentação monetária. 

O modelo capitalista sofreu o forte abalo com a crise de 1929, mas com algumas reformulações do liberalismo e neoliberalismo, ele conseguiu persistir na sociedade. 

Atualmente, o capitalismo financeiro influencia quase todas as nações, em maior ou menor escala, conforme o modelo político vigente em cada território.

Principais diferenças entre Capitalismo e Socialismo

Os conceitos de socialismo e capitalismo são muito falados no dia a dia, mas o conhecimento profundo sobre esses temas requer muito estudo e dedicação. 

A nível de vestibular, é importante saber que eles diferem em vários aspectos.

Segundo os criadores, Marx e Engels, o socialismo é uma etapa que possibilita a instalação do comunismo. Enquanto isso, o capitalismo é um modelo financeiro que influencia em todos os aspectos da sociedade. 

Enquanto o capitalismo estimula a propriedade privada, tem pouca influência estatal e está muito atrelado às desigualdades sociais; o socialismo requer a extinção da propriedade privada, um Estado controlador e a divisão igualitária de renda entre os indivíduos.

Questões resolvidas

Para te ajudar na consolidação do conhecimento sobre capitalismo, resolva a questão abaixo e depois confira a resolução proposta pelo Estratégia Vestibulares:

Enem 2016

Quanto mais complicada se tornou a produção industrial, mais numerosos passaram a ser os elementos da indústria que exigiam garantia de fornecimento. Três deles eram de importância fundamental: o trabalho, a terra e o dinheiro. Numa sociedade comercial, esse fornecimento só poderia ser organizado de uma forma: tornando-os disponíveis à compra. Agora eles tinham que ser organizados para a venda no mercado. Isso estava de acordo com a exigência de um sistema de mercado. Sabemos que em um sistema como esse, os lucros só podem ser assegurados se se garante a autorregulação por meio de mercados competitivos interdependentes.

POLANYI, K. A grande transformação: as origens de nossa época. Rio de Janeiro: Campus, 2000 (adaptado).

A consequência do processo de transformação socioeconômica abordado no texto é a:

a) expansão das terras comunais.
b) limitação do mercado como meio de especulação.
c) consolidação da força de trabalho como mercadoria.
d) diminuição do comércio como efeito da industrialização.
e) adequação do dinheiro como elemento padrão das transações.

Conforme discorrido no texto, o trabalho tornou-se disponível à compra – o que se consolidou como a troca da força de trabalho por um valor pré-determinado. Essa organização é característica do capitalismo e pode ser bem representada pela frase da alternativa C. 

Precisa compreender melhor os sistemas de produção e a história das sociedades? Assista às aulas de sociologia do Estratégia Vestibulares

Não deixe de acompanhar o Blog do Estratégia e conheça nossos cursos pré-vestibulares, basta clicar no banner abaixo:

banner estratégia - capitalismo
Você pode gostar também